História do feminismo no mundo da moda

Feminismo  é um movimento político, filosófico e social que defende a igualdade de direitos  entre  mulheres  e  homens . A  mo...


Feminismo é um movimento político, filosófico e social que defende a igualdade de direitos entre mulheres e homens.

moda e o feminismo nem sempre andaram de mãos dadas, mesmo hoje em dia ela sendo a maior apoiadora desse movimento. O mundo da moda já foi conhecido por ter oprimido e privado as mulheres a partir de suas regras ditadoras nos editoriais de grifes influentes do mercado no século XIX, se tornando um grande obstáculo para elas em suas buscas pela liberdade e direitos iguais. Mas isso mudou com os anos, as mulheres começaram a ter sua própria voz e irem atrás dos seus direitos em todas as áreas, exigiram seu direito ao voto, tomaram seus lugares no mercado de trabalho – como carreiras que antes somente homens podiam exercer – decidiram o momento da sua maternidade, se tornaram independentes, e conquistaram papéis de lideranças, mas sabemos que ainda há muito que se fazer. 

A história da moda nos permite rever não apenas as mudanças relacionadas às roupas de cada época, mas também compreender as fases da sociedade e as representações do corpo feminino em cada uma delas, há mais de 150 anos. Durante quase todo o século XIX, as mulheres não exerciam nenhuma influência na sociedade, a figura feminina não podia desfrutar de nenhum direito moral em comparação aos homens que tinham o comando de tudo. Isso acontecia no mesmo tempo em que elas eram quase obrigadas a usarem espartilhos (comprimindo suas costelas) diariamente por falta de opção de roupas. O vestuário das mulheres foi se tornando mais simples após a primeira guerra mundial (1918), junto com isso elas também começaram a ter mais opções de onde trabalhar, o que antes só podiam ser lavadeiras, empregadas, enfermeiras, cozinheiras e costureiras, também podiam ser atriz, mas naquele tempo não era uma coisa bem vista.    


Evolução das roupas 

Conforme o tempo foi passando, os gênios da indústria fashion foram revolucionando a moda à favor do feminismo, o maior exemplo para mim é a Coco Chanel, que nos anos 20 (pra ser bem especifica, foi em 1928) trouxe para o guarda roupa das mulheres as calças, o que foi um passo gigante. Em 1970, as calças jeans atingiram a popularidade na moda feminina e o estilo de usa lá se tornou uma escolha – as mulheres vestiam calças, vestidos ou minissaias como quisessem.

Hoje em dia pode parecer besteira para alguns, mas graças a essa mulher usamos essa peça no dia a dia sem nenhum problema, se estivéssemos em 1910, e alguém visse uma usando uma mulher usando calça seria um absurdo e ela seria muito mal falada. Em 1955 ela criou a bolsa a tiracolo, que deixava as mãos das mulheres livres, essa bolsa nunca mais deixou de estar em alta. 

Outros exemplos não menos importante, foi o estilista Paul Poiret, que aboliu o corset de suas criações, colocando em alta as roupas soltas, que não aprisionavam (literalmente) as mulheres, como os vestidos soltos e chemisiers (também são vestidos, mas são curtos que parecem camisa, com tecidos leves de seda). Yves Saint Laurent criou o smoking feminino e as camisas transparentes no mesmo ano (1966) em que a popularização da pílula anticoncepcional, e a libertação sexual finalmente se tornavam um direito das mulheres. 

O jeans se tornou a primeira peça sem gênero, ele foi criado em 1792, mas somente nos anos 70 que ele foi aderido por mulheres e até então continua assim. Depois disso vieram as calças pantalonas, saias longas, blazers e camisas de banda, de todas as cores e modelos, e pra variar, também eram peças que antes só eram feitas para homens. 


Os preconceitos com o que as mulheres vestiam estavam sendo deixados de lado, mas aos poucos, você pode perceber que ainda não acabou isso pelo fato estarmos em 2018 e ainda existir pessoas que falam mal de meninas que andam de short curto ou cropped. Eu não uso cropped, por escolha minha, e mesmo assim não tolero que falem mal perto de mim de quem usa. A roupa foi criada para ser usada.

Foi pelo meio dos trajes que a mulher conseguiu adquirir sua autoconfiança e seu poder na sociedade. E é por ele até hoje que somos tão empoderadas e temos a nossa própria marca, não me refiro a uma empresa, e sim ao nosso jeito único de se vestir. Podemos sim nos inspirar em outras mulheres, mas nunca copiamos, por que cada uma tem um jeito incomparável de estar na moda.

Espero que tenham gostado do conteúdo de hoje, um beijo pra todas, e até o próximo post. ❤ 


Relacionados

8 comentários

  1. Amei seu post, muito importante visar esse assunto no seu blog.

    http://www.blogsecretplace.com/

    ResponderExcluir
  2. Que inspirador seu texto, gostei muito. Gosto muito deste tipo de assunto.
    Charme-se

    ResponderExcluir
  3. adorei esse post! super importante dar esse panorama histórico para um movimento que ainda tem muito o que crescer e conquistar

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, eu gostei bastante do post,
    href="http://todaproduzida3698169.wordpress.com/"

    ResponderExcluir
  5. Nossa muito bom conhecer esses detalhes, entender a história é necessário para compreendermos as mudanças de hj,

    bjs

    https://caprichadissimas.blogspot.com/2018/06/lista-de-desejos-da-shein.html

    ResponderExcluir
  6. Achei o post tão interessante, muito legal você abordar esse assunto ❤
    www.blogsereiando.com

    ResponderExcluir
  7. Manuela Moreira23/6/18

    Esse assunto precisa ser mais falado até o machismo deixe de existir! muito bom seu texto

    ResponderExcluir
  8. Solange L.25/6/18

    Precisamos colocar mais textos como esse por ai, o mundo precisa do feminismo

    ResponderExcluir